Tag: Pesquisa em cultura popular

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria
Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

As histórias sobre o São João Maria perpassam gerações. Muitos viram, muitos não viram, alguns creem em sua divindade e outros só ouviram falar. Mas o certo mesmo é que o imaginário da população cabocla do Oeste catarinense mantém vivo os causos sobre os milagres do monge peregrino até hoje. A Cia Contacausos prepara um novo espetáculo de pesquisa: ‘Vozes Vivas’ tem o objetivo de dar voz e imagens às narrativas orais sobre o monge São João Maria.

O projeto dá visibilidade à cultura oral e às manifestações culturais locais e regionais. Segundo a pesquisadora e contadora de histórias, Josiane Geroldi, o objetivo é estimular o reconhecimento e a valorização dessas expressões como manifestações do patrimônio imaterial e assegurar a continuidade das narrativas e expressões populares.

Por enquanto, a fase é de pesquisa. Estão sendo realizadas entrevistas com a população local. Afinal, as portas estão sempre abertas e histórias não faltam. Mas o estudo iniciou bem antes, há 10 anos durante o trabalho de conclusão de curso em Letras, e agora se atualiza com novas histórias, novos entrevistados e novos causos.

O projeto foi selecionado pelo Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas de Chapecó 2017 realizado pela Secretaria de Cultura da prefeitura municipal de Chapecó.

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Espetáculo multimídia

O resultado da pesquisa poderá ser conhecido no site contacausos.com.br, onde as narrativas compiladas estarão à disposição para consulta pública, e na dramaturgia do espetáculo Vozes Vivas que tem direção de Max Reinert. O espetáculo irá explorar diferentes mídias – áudio, vídeo e oralidade – e faz uso da combinação destas linguagens com cuidado estético e poético para compartilhar o saber dos caboclos.

No palco, as características específicas do vocabulário caboclo são respeitadas e os saberes se mantém vivos na riqueza de imagens, força, dialeto e expressões culturais dos áudios e vídeos, possibilitando experiências significativas sensoriais entre imagem e os sentidos dos espectadores.

Com previsão de estreia para o segundo semestre de 2018, serão realizadas três apresentações gratuitas: duas em comunidades do interior de Chapecó e uma no Teatro do Sesc Chapecó.

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Mas afinal, quem foi São João Maria?

Segundo relatos de devotos do monge, ele andava pelo mundo, não tinha moradia fixa, passava os dias andando pelas estradas abertas pelas tropas, alimentava-se com couve, usava barba e cabelos compridos e carregava uma trouxinha com alguns utensílios e pequenos objetos. Em suas andanças, parava para pedir abrigo nas casas dos caboclos e fazendeiros. A população afirma que se a família o acolhesse e o tratasse bem, era abençoada; caso contrário, era amaldiçoada.

Monge São João Maria

Monge São João Maria

Percebe-se durante os processos de pesquisa e compilação de narrativas orais feitos pela Cia Contacausos que, apesar de se tratar de narrativas de um personagem do passado, para muitos, seus efeitos, milagres, profecias continuam causando efeitos no presente. Por isso, constituem o imaginário e a cultura das diversas populações que o seguem por meio da devoção, águas santas, crença em profecias ou conhecimentos sobre as plantas e ervas medicinais.

As histórias e ensinamentos sobre São João Maria têm sido difundidas quase que unicamente através da oralidade. Os estudos históricos sobre o personagem estão geralmente atrelados a Guerra do Contestado, mas percebe-se nas entrevistas com as comunidades caboclas que é possível encontrar inúmeras narrativas sobre o monge e um imaginário rico, cheio do que constitui a identidade cultural regional.

#Popularium: Os filhos do Boto
#Popularium: Os filhos do Boto

 

Quase todo mundo conhece alguma lenda, conto popular, histórias de assombração, causo que vira e mexe acontece… Mas você já se perguntou de onde ou como essas tradições orais surgiram?

O portal Mundo Freak decidiu investigar algumas histórias de tradição oral e criou a série de podcasts “Popularium”. A intenção é explorar os mitos, lendas e folclores de modo a entender suas origens e como dialogam com a sociedade.

Em parceria com o portal, compartilhamos no site Cia ContaCausos os podcasts (que podem ser baixados). Desta vez, a lenda investigada é “Os filhos do Boto”. Costuma-se dizer que os filhos de “pais desconhecidos” são crianças do Boto, que se transforma em um galã vestido de branco, com um grande chapéu que esconde suas narinas e seduz as mulheres.

OUÇA O PODCASTPopularium 01: Os filhos do Boto

DOWNLOAD Popularium 01: Os filhos do Boto

Conheça mais

O portal Mundo Freak surgiu em agosto de 2012, fundado pelo escritor Andrei Fernandes, pela gerente de mídias sociais Ira Morato e pelo professor de história Rafael Jacaúna. A intenção do portal é criar e compartilhar conteúdos sobre cultura popular.

Os episódios de “Popularium” são produzidos através da pesquisa e compilação realizadas por Andrei Fernandes e Andriolli Costa (criador do O colecionador de Sacis).

 

* Conteúdo originalmente publicado no portal Mundo Freak

#Popularium: A lenda da Mulher do Padre (Mula sem Cabeça)
#Popularium: A lenda da Mulher do Padre (Mula sem Cabeça)

 

Quase todo mundo conhece alguma lenda, conto popular, histórias de assombração, causo que vira e mexe acontece… Mas você já se perguntou de onde ou como essas tradições orais surgiram?

O portal Mundo Freak decidiu investigar algumas histórias e criou a série de podcasts “Popularium”. A intenção é explorar os mitos, lendas e folclores de modo a entender suas origens e como dialogam com a sociedade. Em parceria com o portal, compartilhamos no site Cia ContaCausos os podcasts (que podem ser baixados). No primeiro episódio, a lenda investigada é a “Mulher do Padre”. Desconhece esse nome? Talvez porque ela também seja chamada de Mula Sem Cabeça.

OUÇA O PODCASTPopularium 00: Mulher do Padre

DOWNLOAD Popularium 00: Mulher do Padre

 

Conheça mais

O portal Mundo Freak surgiu em agosto de 2012, fundado pelo escritor Andrei Fernandes, pela gerente de mídias sociais Ira Morato e pelo professor de história Rafael Jacaúna. A intenção do portal é criar e compartilhar conteúdos sobre cultura popular, entretenimento, mistérios e conteúdo freak

Os episódios de “Popularium” são produzidos através da pesquisa e compilação realizadas por Andrei Fernandes e Andriolli Costa (criador do Colecionador de Sacis).

 

* Conteúdo originalmente publicado no portal Mundo Freak

Iphan abre concurso para premiar mestres do carimbó
Iphan abre concurso para premiar mestres do carimbó

 

Com o objetivo de valorizar a atuação de mestras, mestres e grupos que contribuem para a continuidade da tradição do ritmo carimbó, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lançou o edital Prêmio Carimbó Nosso Patrimônio. Ao todo, serão oferecidos 25 prêmios no valor de R$ 5.160,00 para cada projeto.

O carimbó foi registrado como patrimônio cultural brasileiro em 2014, como parte das ações para salvaguarda da manifestação cultural paraense. O Prêmio Carimbó Nosso Patrimônio reconhece as trajetórias de vida de pessoas que tenham contribuído de maneira fundamental para a transmissão e continuidade do Carimbó, bem como grupos cuja atuação contribua de forma exemplar para a valorização, difusão e transmissão do bem cultural às novas gerações.

Serão premiados 10 mestres e mestras em atividade, cinco destinados aos herdeiros diretos de cinco mestres ou mestras já falecidos (in memoriam) e 10 destinados a grupos de Carimbó.

Inscrições

As inscrições são gratuitas e terminam no dia 21 de agosto, devendo ser enviadas para a superintendência do Iphan, no Pará. De acordo com o edital, o período de habilitação e avaliação será de 22 de agosto até 10 de setembro. A convocação dos candidatos selecionados será feita por publicação no Diário Oficial da União.

A comissão de avaliação do concurso será composta por quatro integrantes, sendo um representante do Comitê Gestor da Salvaguarda do Carimbó, um servidor da Fundação Cultural do Pará/Secult e dois servidores do Iphan, sendo um deles o coordenador dos trabalhos da Comissão, sem direito a voto.

O prêmio será depositado em conta corrente de qualquer banco, em nome do candidato selecionado. Não será efetuado o depósito em contas conjuntas ou de terceiros, assim como não serão aceitas contas-benefício, como Bolsa Família, Bolsa Escola ou Aposentadorias.

Critérios de avaliação

Os mestres, mestras e grupos serão avaliados pelo tempo de atuação, contribuição sócio-cultural que a atuação proporciona à comunidade em que vive e atua ou atuou em vida. A contribuição para a criação e fortalecimento de espaços que promovam a valorização e difusão das tradições vinculadas ao Carimbó também será avaliado, assim como a renda mensal familiar e a contribuição da atuação para a difusão do Carimbó e para a articulação de parcerias com a comunidade e instituições diversas.

Acesse o edital completo do Prêmio Carimbó Nosso Patrimônio

Foto: Gustavo Serrate/Ministério da Cultura

Fonte: Agência Brasil

 

ContaCausos e Sesc Chapecó promovem Oficina de Contação de Histórias
ContaCausos e Sesc Chapecó promovem Oficina de Contação de Histórias

 

Atividade acontecerá em dois encontros e procura sensibilizar e formar novos contadores

Quem não lembra das histórias contadas pelos avós, das rodas de fogueira ou ao redor do fogão a lenha? Mas quem continua contando tais histórias hoje? Voltado ao fomento das tradições, o trabalho da Cia ContaCausos com as oficinas de formação busca incentivar e sensibilizar novos contadores. Além disso, a proposta é provocar reflexões sobre a narrativa oral, sua relevância história, social e cultural.

quarta_NOITE (8)

Pensando nisso, o Sesc em Chapecó, em parceria com a Cia, promove uma Oficina de Contação de Histórias. Serão dois encontros onde educadores, contadores, pesquisadores, artistas, produtores e público interessado na arte da narrativa poderão aumentar o repertório sobre os estudos da oralidade. Pois ao se pensar em contação de histórias, emerge desse espaço inúmeras possibilidades: desde pesquisa e repertório à expressão corporal.

Ou seja, além de prática, a oficina pretende problematizar, analisar e instigar aos elementos que envolvem a pesquisa acerca das narrativas. “Toda narrativa oral é resultado de representações e expressões populares, de criações sobre a realidade. E isso faz parte da nossa identidade, da cultura, das construções simbólicas. Ou seja, pensar nas histórias envolve pesquisar o que elas representam e como dialogam com outros elementos da cultura”, salienta Josiane Geroldi, idealizadora da ContaCausos e oficineira.

Como faço minha inscrição?

A oficina será dividida em dois encontros (sábados): no dia 8 de julho e 15 de julho. Em ambos os dias, a programação será das 8h às 12h e das 13h30 às 19h30, totalizando 20 horas de curso (com emissão de certificado). As inscrições podem ser feitas na Unidade do Sesc em Chapecó, na rua Brasília, 475 D, no bairro Jardim Itália, local onde o encontro será realizado. A oficina possui investimento de R$ 110,00 (para público em geral) e R$ 50,00 (para comerciários, com carteirinha do Sesc). As vagas são limitadas, então se antecipe e garanta logo sua vaga.

Texto e fotos: Assessoria de Imprensa