Tag: Contos Populares

“Esticando as Canelas” é selecionado para o Floripa Teatro
“Esticando as Canelas” é selecionado para o Floripa Teatro

Considerado um dos eventos mais importantes de artes cênicas de Santa Catarina, festival acontece de 15 a 22 de setembro

Alguém consegue enganar a Morte? O Zé Malandro tentou…. mas a Morte é cheia de truques. “Esticando as Canelas – Contos para Enganar a Morte” é um espetáculo da Cia Contacausos, que foi selecionado na Mostra Oficial e estará presente no Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo, um dos mais importantes eventos de artes cênicas de Santa Catarina.

De 15 a 22 de setembro de 2018, mais de 300 artistas teatrais ocupam as principais casas de espetáculos de Florianópolis, além de salas alternativas, auditórios e espaços ao ar livre como praças, parques e largos. A chapecoense Cia Contacausos se apresenta na segunda-feira, dia 17, às 9h30 e às 14h30.

O espetáculo de contação de histórias apresenta contos populares da tradição oral brasileira que falam sobre a hora de esticar as canelas, abotoar o paletó, entregar a rapadura e bater as botas… Os contos selecionados envolvem de forma descontraída o universo simbólico e as representações populares construídas em torno da morte. Cheias de humor e astúcia, as narrativas ganham vozes com a contadora de histórias Josiane Geroldi que apresenta personagens da cultura popular que para escapar e enganar a “temida famigerada” dão um show de esperteza e criatividade, revelando, assim, um inestimável amor à vida.

Festival Isnard Azevedo

O Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo chega a 23ª edição em 2018. É uma mostra de diversidade teatral com a participação de 53 grupos/coletivos teatrais de 6 estados brasileiros e dois internacionais que contempla apresentações teatrais de espetáculos dos mais variados gêneros e formatos.

Durante 8 dias, a programação do Festival ocupará 31 espaços com a realização de 85 sessões de espetáculos que integram a Mostra Oficial, a 2ª Mostra Quintais Cênicos, a Cena Universitária e a Mostra Paralela, e 11 ações formativas entre oficinas de formação teatral desenvolvidas por participantes da 2ª Mostra Quintais Cênicos, nas Rodas de Conversas Teatrais e na 3ª Roda de Negócios Teatrais. No total, serão oferecidas 96 ações teatrais ao longo da programação, que é totalmente gratuita.

Realizado pela Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Juventude e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, o Festival Isnard Azevedo propicia ao público o livre acesso a espetáculos de qualidade e contando com a participação de grupos e artistas de várias regiões do Brasil e exterior que atuam com diferentes linguagens na área teatral.

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria
Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

As histórias sobre o São João Maria perpassam gerações. Muitos viram, muitos não viram, alguns creem em sua divindade e outros só ouviram falar. Mas o certo mesmo é que o imaginário da população cabocla do Oeste catarinense mantém vivo os causos sobre os milagres do monge peregrino até hoje. A Cia Contacausos prepara um novo espetáculo de pesquisa: ‘Vozes Vivas’ tem o objetivo de dar voz e imagens às narrativas orais sobre o monge São João Maria.

O projeto dá visibilidade à cultura oral e às manifestações culturais locais e regionais. Segundo a pesquisadora e contadora de histórias, Josiane Geroldi, o objetivo é estimular o reconhecimento e a valorização dessas expressões como manifestações do patrimônio imaterial e assegurar a continuidade das narrativas e expressões populares.

Por enquanto, a fase é de pesquisa. Estão sendo realizadas entrevistas com a população local. Afinal, as portas estão sempre abertas e histórias não faltam. Mas o estudo iniciou bem antes, há 10 anos durante o trabalho de conclusão de curso em Letras, e agora se atualiza com novas histórias, novos entrevistados e novos causos.

O projeto foi selecionado pelo Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas de Chapecó 2017 realizado pela Secretaria de Cultura da prefeitura municipal de Chapecó.

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Espetáculo multimídia

O resultado da pesquisa poderá ser conhecido no site contacausos.com.br, onde as narrativas compiladas estarão à disposição para consulta pública, e na dramaturgia do espetáculo Vozes Vivas que tem direção de Max Reinert. O espetáculo irá explorar diferentes mídias – áudio, vídeo e oralidade – e faz uso da combinação destas linguagens com cuidado estético e poético para compartilhar o saber dos caboclos.

No palco, as características específicas do vocabulário caboclo são respeitadas e os saberes se mantém vivos na riqueza de imagens, força, dialeto e expressões culturais dos áudios e vídeos, possibilitando experiências significativas sensoriais entre imagem e os sentidos dos espectadores.

Com previsão de estreia para o segundo semestre de 2018, serão realizadas três apresentações gratuitas: duas em comunidades do interior de Chapecó e uma no Teatro do Sesc Chapecó.

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Mas afinal, quem foi São João Maria?

Segundo relatos de devotos do monge, ele andava pelo mundo, não tinha moradia fixa, passava os dias andando pelas estradas abertas pelas tropas, alimentava-se com couve, usava barba e cabelos compridos e carregava uma trouxinha com alguns utensílios e pequenos objetos. Em suas andanças, parava para pedir abrigo nas casas dos caboclos e fazendeiros. A população afirma que se a família o acolhesse e o tratasse bem, era abençoada; caso contrário, era amaldiçoada.

Monge São João Maria

Monge São João Maria

Percebe-se durante os processos de pesquisa e compilação de narrativas orais feitos pela Cia Contacausos que, apesar de se tratar de narrativas de um personagem do passado, para muitos, seus efeitos, milagres, profecias continuam causando efeitos no presente. Por isso, constituem o imaginário e a cultura das diversas populações que o seguem por meio da devoção, águas santas, crença em profecias ou conhecimentos sobre as plantas e ervas medicinais.

As histórias e ensinamentos sobre São João Maria têm sido difundidas quase que unicamente através da oralidade. Os estudos históricos sobre o personagem estão geralmente atrelados a Guerra do Contestado, mas percebe-se nas entrevistas com as comunidades caboclas que é possível encontrar inúmeras narrativas sobre o monge e um imaginário rico, cheio do que constitui a identidade cultural regional.

Folclore: Contacausos realiza Mostra de Repertório para celebrar a data
Folclore: Contacausos realiza Mostra de Repertório para celebrar a data

Em comemoração ao mês do folclore brasileiro, a Cia Contacausos realizou Mostra de Repertório em Xanxerê/SC. Foram apresentados seis espetáculos, todos os dias da semana, já que todos nascem de pesquisas sobre as tradições e manifestações populares. Através da contação de histórias, as peças dão visibilidade à cultura oral e às manifestações culturais locais e regionais dos caboclos.

No palco, as características específicas do vocabulário caboclo são respeitadas e os saberes se mantém vivos enaltecendo e valorizando a identidade cultural. São espetáculos com temáticas genuinamente brasileiras e pautados tecnicamente no teatro narrativo contemporâneo.

Mostra de repertório

Foram apresentados ‘Esticando as Canelas’ na segunda-feira (13), ‘Tem Coroa, mas não é rei’ na terça-feira (14), ‘Foi Coisa de Saci’ na quarta (15), ‘Maracá’ e ‘Puravida’ na quinta (16) e ‘Visagem’ na sexta-feira (17). Com entrada gratuita, as apresentações aconteceram na plenária da Câmara de Vereadores de Xanxerê com a participação de crianças e no Museu do Milho com apresentações destinadas aos adultos.

A programação integra a primeira edição do “Agosto Cultural”, realizado pela Câmara Municipal, no projeto Câmara e Você, em parceria com a prefeitura de Xanxerê, por meio da Secretaria de Esportes, Cultura e Lazer, Conselho Municipal de Política Cultural, e o Sesc Xanxerê.

#Popularium: Os filhos do Boto
#Popularium: Os filhos do Boto

 

Quase todo mundo conhece alguma lenda, conto popular, histórias de assombração, causo que vira e mexe acontece… Mas você já se perguntou de onde ou como essas tradições orais surgiram?

O portal Mundo Freak decidiu investigar algumas histórias de tradição oral e criou a série de podcasts “Popularium”. A intenção é explorar os mitos, lendas e folclores de modo a entender suas origens e como dialogam com a sociedade.

Em parceria com o portal, compartilhamos no site Cia ContaCausos os podcasts (que podem ser baixados). Desta vez, a lenda investigada é “Os filhos do Boto”. Costuma-se dizer que os filhos de “pais desconhecidos” são crianças do Boto, que se transforma em um galã vestido de branco, com um grande chapéu que esconde suas narinas e seduz as mulheres.

OUÇA O PODCASTPopularium 01: Os filhos do Boto

DOWNLOAD Popularium 01: Os filhos do Boto

Conheça mais

O portal Mundo Freak surgiu em agosto de 2012, fundado pelo escritor Andrei Fernandes, pela gerente de mídias sociais Ira Morato e pelo professor de história Rafael Jacaúna. A intenção do portal é criar e compartilhar conteúdos sobre cultura popular.

Os episódios de “Popularium” são produzidos através da pesquisa e compilação realizadas por Andrei Fernandes e Andriolli Costa (criador do O colecionador de Sacis).

 

* Conteúdo originalmente publicado no portal Mundo Freak

Josiane Geroldi e Paulo Freire apresentam espetáculo “Imagina Só”
Josiane Geroldi e Paulo Freire apresentam espetáculo “Imagina Só”

 

Parceria dos contadores reúne causos, viola e contos populares

Se há algo em comum no trabalho da contadora de histórias Josiane Geroldi e do violeiro Paulo Freire é o encantamento pelo imaginário popular. Há quem diga, inclusive, que imaginário é somente um palavra, pois lobisomem e saci existem. E dessa parceria entre os contadores, surgiu o espetáculo de narrativas “Imagina Só”.

texto

Os dois se apresentaram pela primeira vez juntos em 2016, durante o Encontro Internacional de Contadores de Histórias (Boca do Céu), em São Paulo. A parceria deu certo e ambos decidiram reunir os causos novamente. O repertório é baseado em causos  e mitos populares brasileiros e une a narração de Josiane com a viola e os causos de Paulo Freire, ou melhor, Dona Jo e Nhô Paulo.

Como lembra Josiane, “tradicionalmente, as histórias eram contadas em rodas de fogueira ou acompanhadas de música, viola caipira, nos serões ou junto à família”. E a intenção é justamente esta, levar às pessoas experiências e sentimentos, seja o humor, o medo, a alegria. “Em especial, queremos aproximar o público da identidade cultural e do folclore através das narrativas orais”, afirma a contadora.

Paulo Freire é escritor, músico e contador de histórias com mais de 20 anos de experiência. Sua carreira solo como compositor e cantor começou em 1995. Ao longo dos anos, Paulo contribuiu e produziu outros discos e trabalhos para a televisão, cinema e séries. Já publicou seis livros autorais e colaborou com outras duas publicações. Seu repertório como contador passeia entre os causos caipiras, folclóricos e contos da oralidade popular brasileira.

texto s

Quem conta um conto…

“Imagina Só” é um convite para fechar os olhos e se sentir no voo dos papagaios, desde as Veredas do Urucuia “inté” as barrancas do Rio Uruguai, brincam os contadores. E quem se programar, terá a chance de vê-los juntos. A partir do dia 06 de agosto, o espetáculo circulará em oito cidades de Santa Catarina. A circulação é uma parceria entre os contadores de histórias e as unidades do Sesc no estado. Veja abaixo a programação ou acompanhe no site do Sesc os locais das apresentações.

Programação

06/08 – Sesc São Miguel do Oeste

07/08 – Sesc Concórdia

08/08 – Sesc Xanxerê

10/08 – Sesc Chapecó

12/08 – Sesc Joaçaba

13/08 – Sesc Lages

14/08 – Sesc Blumenau

16/08 – Feira do Livro de Pouso Redondo (Sesc Rio do Sul)

 

Fotos: Pedro Napolitano Prata