Tag: ContaCausos

CONTACAUSOS  circula na 35ª Semana Literária Sesc Paraná
CONTACAUSOS circula na 35ª Semana Literária Sesc Paraná

A Cia ContaCausos participa da programação da Semana Literária do Sesc Paraná pelo 4 ano consecutivo, em 2016 as apresentações acontecerão nas Unidades de Foz do Iguaçu, Medianeira, Cascavel, Toledo e Marechal Cândido Rondon no período de 12 a 17 de setembro.

Acesse o site e confira a programação completa na sua cidade: http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/sobre-a-semana-literaria-sesc/ 

O Brasil que se diz, o Brasil que se escreve

Em nossa múltipla nação, com infinitos territórios e paisagens, somos uma gente múltipla, com diferentes manifestações ao longo de um vasto território, palco de constantes transformações. Celebrando a diversidade do Brasil e do povo brasileiro, em 2016, a 35ª Semana literária Sesc e a XIV Feira do Livro Editora UFPR fazem homenagem não a um autor específico, mas às representações do Brasil, e também do Paraná, na literatura contemporânea.

Realização simultânea em 22 das cidades paranaenses que contam com unidades Sesc, entre 12 e 17 de setembro, esta edição da Semana Literária traz O Brasil na minha obra como tema central, promovendo reflexões e debates sobre as maneiras como este país-continente se vê na ficção contemporânea, permitindo-se ainda um olhar para a arte dos paranaenses, vendo como a nossa regionalidade e nossos escritores contribuem para essa movimentação geral que são a literatura e a cultura brasileiras.

Assim, não apenas o Brasil, mas o Paraná também vem para o centro da cena, com sua cultura tradicional e suas expressões contemporâneas – vistas em si mesmas e por meio de ecos, porventura retumbantes, na literatura, no cinema, na música, no teatro, nas artes visuais, na moda, na culinária, configurando nossa identidade cultural híbrida e plural.

Tal diversidade se ramifica em cada cidade, cada unidade Sesc, com escritores convidados e público se encontrando em mesas-redondas, palestras, bate-papos e sessões de autógrafo, oficinas literárias, entre outras atividades e, ainda, nas atrações para o segmento infantil e infantojuvenil, incluindo narração de histórias e oficinas.

É uma programação viva e dinâmica, com muita literatura, apresentações musicais e exposições, envolvendo o público e fomentando a leitura. E, conjugada com a semana, a feira do livro traz livrarias, editoras universitárias e distribuidoras locais oferecendo lançamentos com ótimos descontos.

E nas unidades Sesc espalhadas pelo Paraná também estão garantidas grandes presenças, como José Castello, Oscar Nakasato, Cintia Moscovich, Marcos Peres, Luci Collin, João Anzanello Carrascoza, Karen Debertólis, Cadão Volpato,  Marta Barcellos e Luiz Felipe Leprevost.

A Semana Literária Sesc e a Feira do Livro Editora UFPR valorizam e incentivam a literatura do Paraná e do Brasil. Entre nesta história você também.

(fonte:http://www.sescpr.com.br/semanaliteraria/curadoria/)

 

 

 

TEM ESPETÁCULO NO MUSEU –  Visagem
TEM ESPETÁCULO NO MUSEU – Visagem

Espetáculo “Visagem” revela causos e crenças populares da região

Lembra-se daqueles contos macabros que os avós contavam sobre criaturas esquisitas ou as lendas sobrenaturais? Bem, se você não lembra, essa será a sua chance. Na próxima sexta-feira (02), a Cia ContaCausos apresentará o espetáculo “Visagem”, no Museu de História e Arte de Chapecó. Mas essa não será uma sessão comum, coisas estanhas poderão acontecer.

A abordagem desse espetáculo tem a intenção de aproximar os causos, relatos e crenças das pessoas, justamente por ser mais intimista. As histórias de “Visagem” resultam de pesquisas e entrevistas que Josiane Geroldi, idealizadora da ContaCausos, realizou com moradores do interior de cidades do Oeste catarinense. A valorização da cultura popular está muito presente em “Visagem”, já que contadora de histórias buscou sua matéria-prima, sobretudo, na oralidade cabocla.

Essa não é a primeira vez que a ContaCausos apresenta espetáculos em espaços públicos, como museus. Dentre as experiências, já foram palcos o sótão do Museu do Vinho Mário de Pelegrin, em Videira, e a Casa da Memória de Piratuba, durante a 11ª Semana Nacional de Museus do IBRAM, em 2013. “Outras ações semelhantes foram acontecendo e, então, percebemos que havia um casamento interessante entre os espaços e as temáticas dos espetáculos”, conta Josiane.

A grande motivação desse formato de espetáculos está na intenção da ContaCausos em apresentar contações pautadas na pesquisa do patrimônio imaterial e levá-la aos espaços de memória. Desse modo, “fomentando novos ambientes para apresentações das produções teatrais e artísticas com temáticas que transitam entre memória e imaginário regional”, lembra a contadora de histórias, que acredita nas experiências significativas e inusitadas como instrumento de encontro com a arte na cidade. O evento é uma parceria da ContaCausos com o Sesc de Chapecó.

Acredita em maldição?

Dizem por aí que quem for convidado a uma sessão maldita e não aparecer, vai ser assombrado pela alma de um velho caboclo. Então não facilite e chegue uma hora antes, para garantir o ingresso. O Museu de História e Arte de Chapecó fica na Avenina Getúlio Vargas, em frente à praça Coronel Bertaso. A apresentação incia à 0h de sexta para sábado, é gratuita e possui classificação indicativa de 14 anos.

 Assessoria de Imprensa: Taulan Cesco

Matéria no G1. Globo – Santa Catarina

visagem - Revista Flash Vip - 2 de setembro visagem - Voz do Oeste - 2 de setembro VISAGEM release, sinopse e Ficha Técnica

ContaCausos no Ecoh – Encontro de Contadores de Histórias de Londrina/PR
ContaCausos no Ecoh – Encontro de Contadores de Histórias de Londrina/PR

Contadora de histórias Josiane Geroldi se apresenta em Encontro Nacional de Contadores de Histórias em Londrina/PR

Alguns banquinhos, uma roda, talvez uma fogueira, embaixo de uma árvore ou em um grande teatro… Bem, não é preciso muito para contar histórias – seja do tipo que for. O mais importante são as histórias que, como fragmentos da memória, flutuam soltas por todo canto, de modo que viajam por terras distintas.

13920968_1148079398572143_7138021155811577748_nE foi mais ou menos isso que a contadora de histórias Josiane Geroldi fez no período de 04 a 08 de agosto quando a contadora viajou a Londrina, no Paraná, para integrar a programação da sexta edição do Encontro de Contadores de História de Londrina (Ecoh), pela terceira vez consecutiva. Ela conta que uma das experiências mais interessantes vividas foi se apresentar no Okupação MARL (Movimento dos Artistas de Rua de Londrina), espaço ocupado há mais de um mês por artistas que reativaram um antigo galpão abandonado. “Através deste movimento, os artistas conseguiram a cessão do espaço pela prefeitura que, em breve, se tornará um importante espaço de cultura da cidade. Ter participado deste processo me fez ver que o caminho possível é o coletivo. Isso me provocou a praticar ideias semelhantes aqui, em Chapecó”.

 

O Ecoh tem o propósito de reunir contadores de histórias de vários locais do Brasil para a troca de experiências e apresentar ao público apresentações de narrativas orais em diversos espaços da cidade. “As narrativas tradicionais trazem uma grande carga do que somos, cada um a seu tempo, do seu modo, com o seu sentir e entendimento. Então, se você se permitir atravessar a ponte conduzido pelos contadores de histórias, pode encontrar maravilhas do outro lado no encontro com você mesmo”, reflete Josiane, idealizadora da Cia ContaCausos, a respeito da força da palavra sobre o humano.

http://https://www.youtube.com/watch?v=IZnWZ49-AsQ

O trabalho da ContaCausos consiste em difundir as narrativas orais tradicionais da cultura popular brasileira e também as regionais, especialmente da cultura cabocla. Os dois espetáculos apresentados na Ecoh, “A Noiva do Diabo” e “Esticando as Canelas”, são frutos do estudo e pesquisa que Josiane desenvolve. E apresentá-los em cidades diferentes significa semear as diversidades linguística, histórica e cultural às pessoas.

“Cada vez mais eu tenho identificado que as histórias, de fato, são universais. Mesmo quando utilizamos expressões regionais ou contamos causos específicos de uma localidade, o imaginário social e as experiências humanas são muito comuns, e isso acaba tornando a história uma linguagem universalizada”. A contadora acredita na a capacidade recíproca da contação, para ela “levar as histórias daqui pra lá, faz com que as histórias de lá também acendam nas pessoas”.

fotos: Valéria Felix

Cia faz Contação de Histórias em escolas rurais no oeste de Santa Catarina
Cia faz Contação de Histórias em escolas rurais no oeste de Santa Catarina

O projeto TERÇA DO CONTO, possibilitou a itinerância da contadora de histórias Josiane Geroldi nas terças-feiras,  em nove (09) escolas da zona rural do município de Chapecó/SC, para a realização de 14 (quatorze) apresentações de contação de histórias do espetáculo Tem Coroa, mas não é rei – Contos de Adivinhação (nos turnos matutino e vespertino. Além das apresentações também foram distribuídos 14 (quatorze) exemplares da obra CONTOS DE ADIVINHAÇÃO do escritor Ricardo Azevedo (editora ática, 2008) obra que serviu como referência para a montagem do espetáculo que foi apresentado e que agora ficará à disposição dos alunos e professores para leitura em sala de aula e empréstimo.

O espetáculo de contação de histórias foi apresentado nas escolas E.B.M ÁGUA AMARELA, E.B.M ALÍPIO JOSÉ DA ROSA, E.B.M ASCENDINA BRASINA DIAS, E.B.M AGROP. DEM. BALDISSARELLI, E.B.M NOVA AURORA, E.B.M LINHA ALMEIDA, E.B.M RODEIO BONITO, E.BM. LAJEADO LISO, e na EBM.THERESA BALDISSERA.  O espetáculo Tem Coropa, mas não é rei faz um passeio pelos contos populares de adivinhação e pela cultura do nosso povo, sua rica sabedoria, seus modos de dizer e viver a vida.Recontados e registrados por vários escritores, como Ricardo Azevedo, Luís da Câmara Cascudo, Angela Lago e Rosana Pamplona, os contos de adivinhação nos possibilitaram criar um ambiente leve e divertido, com muitos “o que é o que é” para as crianças pensarem e responderem.

sobre o projeto:

Juntamos aquela vontade de colocar o pé na roça, mais aquela de contar histórias nas escolas do campo e lá fomos nós! As escolas são pequenas, muitas delas ainda multisseriadas, poucos alunos, ficam em comunidades distantes, a grande maioria não tem biblioteca, e infelizmente poucos artistas vão até lá. Nós fomos! Se organiza aí e vai também! Sempre tem uma escola rural na sua terra que precisa de você!

http://https://www.youtube.com/watch?v=vG4ICXcuM4E

FESTIVAL DE TEATRO DE CHAPECÓ 2016
FESTIVAL DE TEATRO DE CHAPECÓ 2016

A secretaria de cultura de Chapecó/SC – divulgou no dia 08/04 os grupos selecionados para compor a programação do Festival Nacional de Teatro de Chapecó que  acontece de 25 a 29 de Maio de 2016.

Com grande alegria a Cia ContaCausos está entre os grupos selecionados, apresentaremos os espetáculos Foi Coisa de Saci na Mostra Nacional e o espetáculo Visagem na mostra regional.

parabéns a todos os grupos selecionados e que venha o festival!!!

Acompanhe a programação completa do Festival no site da Secretaria de Cultura:
www.chapeco.sc.gov.br/cultura

CONFIRA O RESULTADO DA CURADORIA DO FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE CHAPECÓ – EDIÇÃO 2016

GRUPOS NACIONAIS:
Oigalê Cooperativa de Artistas Teatrais (Porto Alegre – RS) – espetáculo “O Negrinho do Pastoreio”
Cia do Abração (Curitiba-PR) – Espetáculo: “Estórias brincantes de muitas mainhas”
Téspis Cia de Teatro (Itajaí-SC) – Espetáculo: “Meteoros”

SUPLÊNCIAS DOS GRUPOS NACIONAIS:
 Colher de Pau Cia de Teatro (Jaraguá do Sul –SC) – Espetáculo: “Casa de Pólvora”
 Essaé Cia (Joinville-SC) – Espetáculo “Fadas”

GRUPOS LOCAIS:unnamed
Cia Contacausos (Chapecó-SC) – Espetáculo: “Foi coisa de Saci”

 Cia De La Curva -(Chapecó-SC) – Espetáculo: “Varieté – Humor Cítrico”

 Voeverá Cia de Teatro (Chapecó-SC) – Espetáculo: “Carolina’s – Memória escrita resistência”

 Palhaço Cambito (Chapecó-SC) – Espetáculo “Cambito Vocacionado”

Contacausos1 (1)
MOSTRA PARALELA:

Cia Contacausos (Chapecó-SC) – Espetáculo: “Visagem”

 Cia Carretel (Concórdia-SC) – “Em nome do amor”

 Cia Voeverá (Chapecó-SC) – “Construtores de Muros”