Categoria: Espetáculos – Contacausos

“Esticando as Canelas” é selecionado para o Floripa Teatro
“Esticando as Canelas” é selecionado para o Floripa Teatro

Considerado um dos eventos mais importantes de artes cênicas de Santa Catarina, festival acontece de 15 a 22 de setembro

Alguém consegue enganar a Morte? O Zé Malandro tentou…. mas a Morte é cheia de truques. “Esticando as Canelas – Contos para Enganar a Morte” é um espetáculo da Cia Contacausos, que foi selecionado na Mostra Oficial e estará presente no Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo, um dos mais importantes eventos de artes cênicas de Santa Catarina.

De 15 a 22 de setembro de 2018, mais de 300 artistas teatrais ocupam as principais casas de espetáculos de Florianópolis, além de salas alternativas, auditórios e espaços ao ar livre como praças, parques e largos. A chapecoense Cia Contacausos se apresenta na segunda-feira, dia 17, às 9h30 e às 14h30.

O espetáculo de contação de histórias apresenta contos populares da tradição oral brasileira que falam sobre a hora de esticar as canelas, abotoar o paletó, entregar a rapadura e bater as botas… Os contos selecionados envolvem de forma descontraída o universo simbólico e as representações populares construídas em torno da morte. Cheias de humor e astúcia, as narrativas ganham vozes com a contadora de histórias Josiane Geroldi que apresenta personagens da cultura popular que para escapar e enganar a “temida famigerada” dão um show de esperteza e criatividade, revelando, assim, um inestimável amor à vida.

Festival Isnard Azevedo

O Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo chega a 23ª edição em 2018. É uma mostra de diversidade teatral com a participação de 53 grupos/coletivos teatrais de 6 estados brasileiros e dois internacionais que contempla apresentações teatrais de espetáculos dos mais variados gêneros e formatos.

Durante 8 dias, a programação do Festival ocupará 31 espaços com a realização de 85 sessões de espetáculos que integram a Mostra Oficial, a 2ª Mostra Quintais Cênicos, a Cena Universitária e a Mostra Paralela, e 11 ações formativas entre oficinas de formação teatral desenvolvidas por participantes da 2ª Mostra Quintais Cênicos, nas Rodas de Conversas Teatrais e na 3ª Roda de Negócios Teatrais. No total, serão oferecidas 96 ações teatrais ao longo da programação, que é totalmente gratuita.

Realizado pela Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Juventude e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, o Festival Isnard Azevedo propicia ao público o livre acesso a espetáculos de qualidade e contando com a participação de grupos e artistas de várias regiões do Brasil e exterior que atuam com diferentes linguagens na área teatral.

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria
Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

As histórias sobre o São João Maria perpassam gerações. Muitos viram, muitos não viram, alguns creem em sua divindade e outros só ouviram falar. Mas o certo mesmo é que o imaginário da população cabocla do Oeste catarinense mantém vivo os causos sobre os milagres do monge peregrino até hoje. A Cia Contacausos prepara um novo espetáculo de pesquisa: ‘Vozes Vivas’ tem o objetivo de dar voz e imagens às narrativas orais sobre o monge São João Maria.

O projeto dá visibilidade à cultura oral e às manifestações culturais locais e regionais. Segundo a pesquisadora e contadora de histórias, Josiane Geroldi, o objetivo é estimular o reconhecimento e a valorização dessas expressões como manifestações do patrimônio imaterial e assegurar a continuidade das narrativas e expressões populares.

Por enquanto, a fase é de pesquisa. Estão sendo realizadas entrevistas com a população local. Afinal, as portas estão sempre abertas e histórias não faltam. Mas o estudo iniciou bem antes, há 10 anos durante o trabalho de conclusão de curso em Letras, e agora se atualiza com novas histórias, novos entrevistados e novos causos.

O projeto foi selecionado pelo Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas de Chapecó 2017 realizado pela Secretaria de Cultura da prefeitura municipal de Chapecó.

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Vozes Vivas: Novo espetáculo dá vida aos saberes sobre São João Maria

Espetáculo multimídia

O resultado da pesquisa poderá ser conhecido no site contacausos.com.br, onde as narrativas compiladas estarão à disposição para consulta pública, e na dramaturgia do espetáculo Vozes Vivas que tem direção de Max Reinert. O espetáculo irá explorar diferentes mídias – áudio, vídeo e oralidade – e faz uso da combinação destas linguagens com cuidado estético e poético para compartilhar o saber dos caboclos.

No palco, as características específicas do vocabulário caboclo são respeitadas e os saberes se mantém vivos na riqueza de imagens, força, dialeto e expressões culturais dos áudios e vídeos, possibilitando experiências significativas sensoriais entre imagem e os sentidos dos espectadores.

Com previsão de estreia para o segundo semestre de 2018, serão realizadas três apresentações gratuitas: duas em comunidades do interior de Chapecó e uma no Teatro do Sesc Chapecó.

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Entrevistas sobre São João Maria estão sendo realizadas com caboclos do Oeste catarinense

Mas afinal, quem foi São João Maria?

Segundo relatos de devotos do monge, ele andava pelo mundo, não tinha moradia fixa, passava os dias andando pelas estradas abertas pelas tropas, alimentava-se com couve, usava barba e cabelos compridos e carregava uma trouxinha com alguns utensílios e pequenos objetos. Em suas andanças, parava para pedir abrigo nas casas dos caboclos e fazendeiros. A população afirma que se a família o acolhesse e o tratasse bem, era abençoada; caso contrário, era amaldiçoada.

Monge São João Maria

Monge São João Maria

Percebe-se durante os processos de pesquisa e compilação de narrativas orais feitos pela Cia Contacausos que, apesar de se tratar de narrativas de um personagem do passado, para muitos, seus efeitos, milagres, profecias continuam causando efeitos no presente. Por isso, constituem o imaginário e a cultura das diversas populações que o seguem por meio da devoção, águas santas, crença em profecias ou conhecimentos sobre as plantas e ervas medicinais.

As histórias e ensinamentos sobre São João Maria têm sido difundidas quase que unicamente através da oralidade. Os estudos históricos sobre o personagem estão geralmente atrelados a Guerra do Contestado, mas percebe-se nas entrevistas com as comunidades caboclas que é possível encontrar inúmeras narrativas sobre o monge e um imaginário rico, cheio do que constitui a identidade cultural regional.

Folclore: Contacausos realiza Mostra de Repertório para celebrar a data
Folclore: Contacausos realiza Mostra de Repertório para celebrar a data

Em comemoração ao mês do folclore brasileiro, a Cia Contacausos realizou Mostra de Repertório em Xanxerê/SC. Foram apresentados seis espetáculos, todos os dias da semana, já que todos nascem de pesquisas sobre as tradições e manifestações populares. Através da contação de histórias, as peças dão visibilidade à cultura oral e às manifestações culturais locais e regionais dos caboclos.

No palco, as características específicas do vocabulário caboclo são respeitadas e os saberes se mantém vivos enaltecendo e valorizando a identidade cultural. São espetáculos com temáticas genuinamente brasileiras e pautados tecnicamente no teatro narrativo contemporâneo.

Mostra de repertório

Foram apresentados ‘Esticando as Canelas’ na segunda-feira (13), ‘Tem Coroa, mas não é rei’ na terça-feira (14), ‘Foi Coisa de Saci’ na quarta (15), ‘Maracá’ e ‘Puravida’ na quinta (16) e ‘Visagem’ na sexta-feira (17). Com entrada gratuita, as apresentações aconteceram na plenária da Câmara de Vereadores de Xanxerê com a participação de crianças e no Museu do Milho com apresentações destinadas aos adultos.

A programação integra a primeira edição do “Agosto Cultural”, realizado pela Câmara Municipal, no projeto Câmara e Você, em parceria com a prefeitura de Xanxerê, por meio da Secretaria de Esportes, Cultura e Lazer, Conselho Municipal de Política Cultural, e o Sesc Xanxerê.

Causos dos caboclos nos Festivais de Inverno de Minas Gerais
Causos dos caboclos nos Festivais de Inverno de Minas Gerais

Os mais importantes eventos do calendário cultural brasileiro – os Festivais de Inverno de Minas Gerais – vão conhecer as expressões da cultura popular/oral cabocla do Sul do Brasil. A Cia ContaCausos apresenta, em julho, os espetáculos Visagem e Foi Coisa de Saci.

O primeiro encontro acontece em Ouro Preto, no dia 21 de julho, onde será apresentado o Visagem. A peça é resultado de um extenso trabalho de pesquisa, escuta e registro de narrativas orais sobre medo, visagens, seres mitológicos e aparições em comunidades tradicionais caboclas do interior de Santa Catarina. As experiências, causos, relatos, crenças, modos de vida e linguagem compilados através entrevistas, ganham vozes e imagens no espetáculo, que de maneira poética, proporciona experiências significativas de encontro da plateia com seus próprios medos.

Visagem. Foto: Louis Radavelli

Espetáculo Visagem. Foto: Louis Radavelli

Neste ano, o Festival de Inverno de Ouro Preto homenageia o Tropicalismo, movimento de inovação estética e musical que sacudiu o ambiente da cultura popular brasileira, entre 1967 e 1968. Os tropicalistas deram um histórico passo à frente na lógica da produção brasileira. O cenário musical pós-bossa nova e a definição de “qualidade musical” no país estavam cada vez mais dominados pelas posições tradicionais ou nacionalistas. Contra essas tendências, o grupo baiano e seus colaboradores procuraram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica.

Em seguida, a Cia ContaCausos arruma as malas e viaja para São João Del Rei, onde compartilha, no dia 25 de julho, o espetáculo Foi Coisa de Saci. A peça faz um passeio pelos causos da gente brasileira que jura que viu, ouviu e até já prendeu o danadinho na garrafa. Acontece que ele é filho do mistério, filho do vento gira e assobia, filho das sombras que formam figuras lá no fundo da floresta, filho do medo e da assombração. Numa casa de caboclo, quando alguma coisa estranha acontece, as pessoas dizem que Foi Coisa de Saci.

Espetáculo Foi Coisa de Saci. Foto: Pedro N. Prata

Espetáculo Foi Coisa de Saci. Foto: Pedro N. Prata

O Inverno Cultural, promovido pela Universidade Federal de São João Del Rei, existe há 30 anos com a intenção de promover a formação cidadã pelas artes, democratização do acesso à cultura, a convivência com a comunidade e valorização da cena artística.

 

PROGRAMAÇÃO
Ouro Preto
Espetáculo: Visagem
Dia: 21 de julho, às 19h
Local: Casa de Gonzaga / Secretaria de Turismo

São João Del Rei
Espetáculo Foi Coisa de Saci
Dia: 25 de julho, às 16h
Local: Centro Cultural UFSJ

‘Visagem’ integra programação da 18ª Mostra EnCenaCatarina
‘Visagem’ integra programação da 18ª Mostra EnCenaCatarina

“Desce… desce mais um tanto. Aí vem o mato, a noite, a curva, a sombra, a lua e você… Você sozinho na estrada. Você… e o medo”. A Cia Contacausos esteve no litoral catarinense para compartilhar os causos dos caboclos do Oeste. O espetáculo Visagem integrou a programação da segunda etapa da 18ª Mostra EnCena Catarina, realizada pelo Sesc de Santa Catarina.  

“Muito agradecidos ao Sesc Santa Catarina pela confiança e oportunidade. Participar do maior projeto de circulação de espetáculos do Estado contando as histórias da nossa caboclada nos deixou muito felizes”, agradece a contadora de histórias, Josiane Geroldi. O espetáculo foi apresentado no início de julho em quatro municípios: Tijucas, Palhoça, Tubarão e Criciúma.

Depois de subir ao palco, houve a oportunidade de compartilhar as informações sobre a produção da peça. Josiane dividiu com o público as pesquisas e as temáticas abordadas em cena. Em cada município também apresentaram-se os espetáculos “Das Águas”, da Cia Carona de Teatro (de Blumenau) e “Para Contar Estrelas”, do Grupo Cirandela (de Criciúma).

Visagem é o resultado do trabalho de pesquisa realizado pela Cia ContaCausos.  Em cena, as experiências, causos, relatos, crenças, modos de vida e linguagem compiladas através de investigação e entrevistas com moradores no Oeste catarinense ganham vozes e imagens. De maneira poética, o espetáculo procura difundir e estimular o reconhecimento das expressões da cultura popular/oral cabocla do Sul do Brasil.

Mostra EnCenaCatarina

Há 18 anos na estrada, a Mostra EnCenaCatarina fomenta e valoriza a cultura local. A cada ano, são escolhidos para compor o circuito trabalhos de grupos e/ou artistas catarinenses com espetáculos ou performances de teatro, circo ou dança.

Em 2018, o Sesc aprofundou o olhar sobre os diferentes públicos e produções artísticas do Estado, com uma novidade: a seleção de outros seis espetáculos para a abertura da mostra em cada uma das etapas. Desta forma, ampliou a participação de artistas catarinenses no projeto e valorizou as diferentes potencialidades de cada localidade.