Mês: Fevereiro 2017

Café com Histórias – Roda de Contadores de Histórias
Café com Histórias – Roda de Contadores de Histórias

“Na África os griots  são músicos, genealogistas, poetas e comunicadores sociais, mediadores da transmissão oral, bibliotecas vivas de todas as histórias, os saberes e fazeres da tradição, sábios da tradição oral que representam nações, famílias e grupos de um universo cultural fundado na oralidade, onde o livro não tem  papel social prioritário, e guardam as histórias e as ciências das comunidades, das regiões e do país.”

Eis que um velho Griot sentindo que sua hora havia chegado e estando à morte,  mandou chamar seus discípulos.

– Sempre fui o intermediário de vocês diante das grandes dificuldades, nos momentos de alegria,  festejos e agora… quando eu me for, vocês terão de fazer isso, sozinhos. E está tudo bem, porque vocês já sabem em que lugar da floresta devem se reunir, sabem exatamente como devem acender a fogueira e também sabem que histórias devem contar. Façam isso e Deus virá.

Depois que  morreu, a primeira geração obedeceu exatamente às suas instruções, diante de dificuldades, comemorações e agradecimentos, os homens iam até aquele lugar exato na floresta, acendiam a fogueira, contavam aquelas histórias e Deus sempre veio.

Na segunda geração, porém, as pessoas não se lembravam exatamente em que lugar da floresta deveriam ficar, mas se reuniram, acenderam a fogueira tal qual seus antepassados haviam lhes ensinado, contaram as histórias e Deus também veio.

Na terceira geração, as pessoas já não se lembravam em que local da floresta deveriam ficar e também tinham  vaga lembrança de como deveriam acender a fogueira, preferiram então não fazê-lo, mas encontraram-se na floresta, contaram as histórias e Deus veio.

Na quarta geração, a floresta era só um bosque, não importava o lugar onde deveriam estar, ninguém sabia onde sequer conseguir a lenha para acender a fogueira  e também não se lembravam das histórias que deveriam contar. Mas uma pessoa ainda se lembrava da história sobre tudo aquilo e a relatou em voz alta. E Deus ainda veio.

E até hoje, já não importa em que lugar, com ou sem fogueira, sempre que contamos uma história em voz alta. Deus Vem!

(reconto de O Dom da História de Clarissa Pinkola Estés)

Foi assim na quarta edição do Café com Histórias – Roda de Contadores de Histórias que acontece desde 2014 em Chapecó/SC. Uma parceria entre a Cia Contacausos, Sesc Chapecó e contadores de histórias convidados: Eva Lenita Trierveler, Marcelo Wundervand, Jonas Prado, Marineuse Bet, Jovani Santos.