Twitter response:

Tag: ContaCausos

Entre fios, histórias e a sabedoria ancestral
Entre fios, histórias e a sabedoria ancestral

 

“Puravida”, sessão inédita de contos da ContaCausos, apresenta narrativas sobre mulheres sábias

Junte um fio daqui, uma agulha de lá, outros rolos de linha de algum lugar e, de repente, um manto é tecido. Poderíamos dizer que as histórias são como os tecidos: emaranhados de memórias trançadas entre si que tomam forma no encontro afetivo.

É sob essa atmosfera que Josiane Geroldi, da Cia ContaCausos, reuniu histórias que evocam os saberes populares ligados à figura feminina e criou o repertório “Puravida”. Na próxima sexta-feira (05), às 19h30, a convite do Grupo de Apoio à Prevenção da AIDS (GAPA) de Chapecó, a apresentação será realizada pela contadora na exposição “Violência Contra a Mulher: Um Olhar Anterior”, organizada pelo GAPA.

“Eu tenho feito leituras sobre o ‘feminino’, mulheres sábias e ancestralidade há um bom tempo. E essas histórias me tocavam de forma muito profunda”, conta Josiane. Segundo ela, o convite para realizar a sessão de contos coincidiu com o momento que vive e, por consequência, surgiu a oportunidade de “materializar” nesta montagem as narrativas que a acompanhavam.

Na última sexta-feira (28 de março), ContaCausos e GAPA decidiram aderir à Greve Geral, como forma de apoio às manifestações populares contra reformas (Trabalhista e Previdenciária) propostas pelo atual governo. O período de exposição foi estendido e a sessão mantida.

01 Puravida - Cia ContaCausos - Divulgação

Conhecimentos partilhados

Para Josiane, que tem vivido um processo de entendimento como contadora de histórias e mulher, de procurar quem ela é o que quer dizer enquanto artista, “Puravida” condensa experiências pessoais, a pesquisa desenvolvida e um compromisso artístico. “Eu senti a necessidade de fazer com que as pessoas também se encontrem através das histórias, assim como eu tenho o feito”, revela a contadora, que recebeu doação voluntária de inúmeros crochês, tricôs e linhas para compor o cenário.

As narrativas de “Puravida” falam essencialmente sobre mulheres empoderadas, estabelecendo a figura feminina como protagonista da ação, onde ela resolve situações de sua comunidade e é detentora de conhecimentos, distanciando a mulher do papel fantasiado em que ela espera pelo príncipe.

O evento tem entrada franca e será realizado na Galeria Municipal de Arte, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês. O número de ingressos é limitado, por isso a recomendação é chegar com uma hora de antecedência para retirá-los. Além disso, a classificação indicativa do espetáculo, que encerra e exposição em Chapecó, é de 10 anos.

______________

Siga-nos!

Facebook – Cia ContaCausos

Instagram – @cia_contacausos

 

(Conteúdo – Assessoria de Imprensa/Cia ContaCausos)

ContaCausos leva causos folclóricos e relatos tradicionais a Criciúma
ContaCausos leva causos folclóricos e relatos tradicionais a Criciúma

O Teatro Municipal Elias Angeloni, em Criciúma, foi palco de um espetáculo… Só que desta vez, um espetáculo diferente. Em cima do palco, somente com a lâmpada do abajur e sob uma atmosfera silenciosa, o público foi apresentado às narrativas de “Visagem” – resultados de pesquisa da ContaCausos que reúne relatos sobre visões e aparições no interior do Oeste catarinense.

Em outra oportunidade, menos sinistra, foi a vez de chamar o menino do capuz vermelho em “Foi Coisa de Saci”. Na unidade do Sesc em Criciúma, o público chegou aos poucos e logo se envolveu nas narrativas do danadinho que apronta sem dó, causando o maior reboliço.

 

VEJA TAMBÉM

Contação de histórias: Araranguá

Contação de histórias: Tubarão

Contação de histórias: Lages

 

Confira a galeria!

(Fotos: Assessoria de Imprensa/Taulan Cesco)

 

ContaCausos: Sarau, histórias de Saci e “Visagem” em Lages
ContaCausos: Sarau, histórias de Saci e “Visagem” em Lages

Foram dois dias de narrativas e causos em Lages. No primeiro dia, o público assistiu ao espetáculo “Visagem”, no Centro Cultural Vidal Ramos, administrado pelo Sesc da cidade. Ambientado no prédio centenário, o ritual para evocar as histórias passou pelos corredores escuros e subsolo até chegar à sala onde as histórias sobre visões e aparições recorrentes no Oeste catarinense foram contadas.

No segundo dia, além de um sarau com violonistas e narradores de histórias dividirem causos tradicionais da cultura popular, Josiane Geroldi apresentou o espetáculo “Foi Coisa de Saci”. A passagem por Lages encerrou a circulação que passou por outras quatro cidades de Santa Catarina.

 

VEJA TAMBÉM

Contação de histórias: Araranguá

Contação de histórias: Tubarão

Contação de histórias: Criciúma

 

Confira a galeria!

(Fotos: Carolina Boufleuer Florêncio e Taulan Cesco)

 

ContaCausos: Tubarão recebe “Foi Coisa de Saci” e noite do conto
ContaCausos: Tubarão recebe “Foi Coisa de Saci” e noite do conto

A Maratona de Contos em Tubarão renuiu públicos de diversas idades e em diferentes em ambientes para assistirem ao espetáculo “Foi Coisa de Saci”. Começou pela manhã, em visitação por duas escolas da cidade, à tarde a unidade do Sesc recebeu outras duas turmas e à noite houve o encontro de Josiane Geroldi com o contador de histórias Sergio Carneiro Bello (de Florianópolis).

Ambos os contadores apresentaram narrativas de seus repertórios e dialogaram com o público, na Biblioteca do Sesc, sobre as práticas da oralidade. Em conversa aberta, ressaltou-se essencialmente o fator simbólico das narrativas como arte do patrimônio imaterial da cultura popular.

 

VEJA TAMBÉM

Contação de histórias: Araranguá

Contação de histórias: Lages

Contação de histórias: Criciúma

 

Confira a galeria!

(Fotos: Assessoria de Imprensa/Taulan Cesco)

Espetáculos da Cia ContaCausos circulam o sul de Santa Catarina
Espetáculos da Cia ContaCausos circulam o sul de Santa Catarina

Quatro cidades, mais de 10 espetáculos e muitos causos. Entre os dias 27 de março a 01 de abril, a Cia ContaCausos levará ao Sul e ao Planalto de Santa Catarina narrativas tradicionais da cultura oral brasileira. São histórias de saci, maneiras de enganar a morte e de aparições.

Intimista, ‘Visagem’ reúne causos de arrepiar a espinha e mergulha entre fatos reais e imaginativos (Foto: Arquivo/Cia ContaCausos)

Intimista, ‘Visagem’ reúne causos de arrepiar a espinha e mergulha entre fatos reais e imaginativos (Foto: Arquivo/Cia ContaCausos)

Contadora de histórias há mais de 10 anos, Josiane Geroldi, idealizadora da Cia, confessa que cada vez mais tem identificado que as histórias são, de fato, universais. Para ela, mesmo quando o narrador utiliza expressões regionais ou lembram de causos específicos de uma localidade, “o imaginário social e as experiências humanas são muito comuns, e isso acaba tornando a história uma linguagem universalizada”, afirma.

E são justamente essas expressões corriqueiras e coloquiais da região Oeste que acentuam as narrativas do espetáculo “Visagem” – originalmente criado através de pesquisas e entrevistas com comunidades caboclas do interior de Chapecó e região. Nele são evocadas os relatos sobre aparições de sujeitos e figuras estranhas, além disso, os contos “convidam a plateia a construir mentalmente a cena narrada, contribuindo, assim, para a reafirmação da arte narrativa, do exercício de construção de imagens únicas no imaginário de cada espectador”, esclarece Josiane.

Contos de lá e de cá

A Cia sempre teve certa inclinação a essas comunidades, tanto pelo trabalho de pesquisa com os povos tradicionais quanto pela própria literatura oral. Tanto que a contadora decidiu criar um projeto paralelo ao levantamento de histórias chamado “Pé de Causos – Escuto e Conto Causos”. A iniciativa pretende instigar as pessoas a relatarem histórias do saber popular em locais abertos e públicos. E a partir disso, mapear as narrativas populares de cada localidade visitada.

Outro destaque desta circulação é o encontro entre Josiane e Sergio Bello, contador de histórias desde 1995. Cientista social, Sergio atuou como professor universitário e de ensino fundamental em disciplinas de História, Filosofia e Sociologia da Comunicação.


Programação:

27 de março – Sesc Araranguá/SC

Espetáculo “Esticando as Canelas”

Local: E.B.M João Matias – 10h30 e às 14h

 

28 de março – Sesc Tubarão/SC

Maratona de Contos – Espetáculo “Foi Coisa de Saci”

Consultar horários e locais com a unidade

Evento: goo.gl/K6Abvd

 

29 de março – Sesc  Criciúma/SC

Espetáculo “Foi Coisa de Saci”

Auditório Sesc às 20h

Evento: goo.gl/AbAU4w

 

30 de março  –  Sesc Criciúma/SC

Espetáculo “Visagem”

No teatro Municipal Elias Angeloni às 20h

Evento: goo.gl/OT9cYf

 

31 de março – Sesc Lages/SC

Espetáculo “Visagem”

Subsolo do Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc às 22h

Evento: goo.gl/kVV5ns

 

01 de abril – Sesc Lages/SC

Sarau de 1º de Abril e espetáculo “Foi Coisa de Saci”

Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc  às 18h30

Evento: goo.gl/RgC27

Gestor Box